Minha Conta
Acesse sua conta

banner-regua-ebook-inverno

Mais Visões

Termômetro Nautilus modelo Tartaruga

TERMÔMETRO NAUTILUS MODELO TARTARUGA MONITORA A TEMPERATURA DA ÁGUA

O termômetro Nautilus modelo Tartaruga realiza o monitoramento da temperatura da piscina. Fabricado em ABS, flutua na superfície da água.

Conta com a garantia de 1 ano e a qualidade da marca Nautilus.

A linha de dispositivos e acessórios da Nautilus é completa e atende diversas necessidades de instalações, garantindo segurança e momentos de bem-estar.

Encontrar revenda

>

Características do produto

Informações Adicionais

SKU 31010072
Altura Produto 121 mm
Largura Produto 80 mm
Artigos relacionados
Artigos Relacionados
  1. Segurança na piscina para pessoas com deficiência

    18/10/2017 09:10

    Nada melhor do que uma piscina com água cristalina e fresquinha para fugir do calor. E quem tem piscina em casa, certamente, deseja se refrescar e...
    Dicas de segurança para pessoas com deficiência
    Dicas de segurança para pessoas com deficiência

    Nada melhor do que uma piscina com água cristalina e fresquinha para fugir do calor. E quem tem piscina em casa, certamente, deseja se refrescar e aproveitar os momentos de lazer ao lado da família e dos amigos!

    Mas e o que fazer se alguém possui alguma limitação física para o acesso à piscina? Certamente, você não quer excluir ninguém, mas é preciso garantir a segurança na piscina para pessoas com deficiência.

    Uma das razões para ter uma piscina em casa é incentivar o convívio familiar e isso inclui crianças, adultos, pets, idosos, pessoas com dificuldade de locomoção ou com alguma deficiência. Uma piscina com acessibilidade permite que todos aproveitem bons momentos juntos.

    A questão da acessibilidade ganhou destaque nos últimos anos, fazendo com que boas alternativas fossem criadas para que todos pudessem se divertir - inclusive, um parque aquático para pessoas com deficiência foi criado no Texas.

    Mas a sua família não precisa viajar até lá para poder curtir! Basta seguir algumas dicas de segurança na piscina para que sua diversão seja completa! E é exatamente sobre isso que falaremos hoje. Confira as dicas que preparamos para você!

    1. Conheça a norma

    A acessibilidade é o tema da norma 9050/04 da ABNT e da lei número 10.098. Elas regulamentam as modificações em espaços, mobiliário, equipamentos e edificações, inclusive, nas piscinas.

    As famílias que possuem um ente com deficiência, devem realizar algumas adaptações no seu lar para tornar a vida de todos mais funcional - e elas devem possibilitar autonomia.

    Para preservar a segurança na piscina para pessoas com deficiência, a norma estabelece o uso de degraus, rampas submersas, bancos ou equipamentos de transferência.

    2. Realize os ajustes necessários na piscina para pessoas com necessidades especiais

    Deficientes visuais, cadeirantes, obesos, pessoas com lesões temporárias, entre outros, podem ter dificuldade para entrar e sair da piscina. Para que ninguém fique de fora da diversão, o decreto federal de acessibilidade estipula que as partes de uso comum, como a piscina, devem ser interligadas e preparadas para receber a todos.

    Existem diversas maneiras de tornar o acesso à piscina para pessoas com deficiência mais fácil e seguro, conheça algumas delas:

    • Piso antiderrapante: ele ajuda a evitar acidentes. Por esse motivo, deve ser instalado dentro e ao redor da piscina. As melhores opções são aquelas que possuem revestimento atérmico para garantir que a temperatura se mantenha, mesmo em contato com o sol.
    • Rampas: as rampas servem como apoio para que as pessoas possam entrar na água aos poucos. Também ajudam em situações de perigo, como cãibras ou afogamentos.
    • Escadas: as escadas facilitam o acesso e aumentam a segurança na piscina para pessoas com necessidades especiais. Elas devem ser antiderrapantes e contar com degraus submersos.
    • Elevadores: os elevadores ajudam idosos e pessoas com limitações de mobilidade e necessidades especiais a entrarem e sair da água.

    3. Previna as quedas

    Ambientes cheios e com objetos espalhados dificultam o acesso de pessoas com necessidades especiais. Além disso, podem, também, causar acidentes.

    Por esse motivo, retire brinquedos, cadeiras, mesas e demais objetos entorno da piscina. Dessa forma, o acesso fica mais “limpo” e você irá prevenir acidentes, como as quedas.

    Uma piscina acessível deve permitir que todos interajam e se divirtam sem se esquecer da segurança!

    É preciso pensar na qualidade de vida e no bem-estar de todos! Nada melhor do que aproveitar os momentos de lazer ao lado de quem você ama, sem precisar limitar ou excluir alguém, certo?

    Agora que você já sabe como manter a segurança na piscina, que tal saber como manter o pH para poder usufruir dessa área com mais qualidade?

    E a sua piscina, já é segura para pessoas com necessidades especiais? Você tem alguma dica para compartilhar? Escreva pra gente pelos comentários e até a próxima. 

  2. 6 dicas de segurança na piscina para crianças

    11/10/2017 09:10

    Ter piscina e filhos é uma ótima combinação e uma dobradinha perfeita para bons e divertidos momentos. No entanto, é preciso que os pais tenham...
    Dicas de segurança na piscina para crianças
    Dicas de segurança na piscina para crianças

    Ter piscina e filhos é uma ótima combinação e uma dobradinha perfeita para bons e divertidos momentos. No entanto, é preciso que os pais tenham muito cuidado, pois as crianças exigem atenção constante. Alguns segundos de distração podem ser suficientes para que os pequenos façam algo imprevisto como, por exemplo, pular na piscina sem supervisão.

    Infelizmente, no Brasil, segundo dados da SOBRASA, o afogamento é a segunda maior causa de morte entre crianças de 1 a 9 anos e a sétima de hospitalização na faixa etária entre 1 e 14 anos. Por esse motivo, perto de piscinas, a atenção com as crianças deve ser redobrada.

    Para ajudá-lo, no post de hoje, vamos falar sobre o que é possível fazer de forma preventiva para aumentar a segurança na piscina para as crianças. Confira!

    #1. Cerque a área da piscina com grade de proteção

    Essa é a primeira dica de uma série de recomendações do Conselho Científico de Segurança da Criança e Adolescente da Sociedade Brasileira de Pediatria. De acordo com o órgão, opinião ratificada pela SOBRASA, a grade de proteção deve ter, no mínimo, 1,20 m de altura. Além disso, deve ser trancada com travas que não permitam uma criança abrir o portão com facilidade ou ter sistema de fechamento automático.

    Dessa forma, quando estiver longe de seu campo de visão, você saberá que, perto da piscina, a criança não estará.

    #2. Converse com seus filhos e prepare-os para o lazer na piscina

    A razão de crianças não terem receio ao redor de uma piscina é justamente por não saber do perigo que elas podem estar sujeitas. Por isso, é papel dos pais conversarem com os pequenos sobre o assunto, tentar explicar de uma forma que as crianças entendam que é seguro para elas transitar ao redor da piscina desde que estejam acompanhadas de um adulto.

    Outro ponto importante é investir em aulas de natação, desde bebês. Essa atividade, além de excelente estimulação aquática e motora, é também um importante método para garantir a segurança dos pequenos.

    #3. Para ter segurança na piscina para crianças, invista no material adequado

    Para promover a segurança na piscina para crianças (e mesmo para os adultos), o piso do entorno e também a escada da piscina deve ter revestimento adequado: o material deve ser antiderrapante para evitar quedas e escorregões.

    #4. Faça a manutenção da piscina sem a presença das crianças na área

    Faça a manutenção de sua piscina quando ninguém estiver dentro. Muitas pessoas têm o hábito de deixar a motobomba ligada enquanto usam a piscina. No entanto, essa prática não é recomendada, afinal, alguns ralos podem sugar cabelos, boias, roupas ou até mesmo algum membro do corpo das crianças.

    #5. Tenha o material de segurança adequado

    Para uma criança com menos de 4 anos, é imprescindível o uso de um colete salva-vidas apropriado. A Sociedade Brasileira de Pediatria e a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático sugere o uso de coletes, já que estes são melhor do que a boia de braços, pois essas podem ser facilmente retiradas pelos pequenos. Também não são recomendadas boias "tipo pneu", pois elas podem escorregar do corpo da criança.

    #6. Cuidado com as brincadeiras inadequadas ou perigosas

    Muitas pessoas têm o hábito de brincar de dar “caldinho” ou colocar os pequenos nos ombros para se divertirem na piscina.

    Essas brincadeiras, no entanto, não são recomendadas e comprometem a segurança na piscina para crianças. É importante ter noção de que movimentos bruscos podem não dar certo com os pequenos por perto.

    Além de acontecer um imprevisto, eles podem querer reproduzir os movimentos em outro momento, mas sem possuir a presteza de um adulto para isso.

    Portanto, dê o exemplo para seu filho, oriente-o, promova comportamentos seguros para você e para ele e se quiser brincar com os pequenos na piscina faça brincadeiras seguras na piscina. Assim, você garantirá a segurança na piscina para crianças e todos poderão aproveitar o melhor que essa área de lazer tem a oferecer!

    Tiramos suas dúvidas sobre procedimentos importantes para se ter segurança na piscina para crianças? Então, veja agora outras dicas para ter um verão tranquilo com os pequenos. Boa diversão!

  3. Dicas de segurança na piscina para idosos

    05/10/2017 09:10

    Ter segurança na piscina para idosos é essencial para curtir os dias de calor sem preocupações com riscos de acidentes. Uma casa deve ser segura...
    Dicas de Segurança na piscina para idosos
    Dicas de Segurança na piscina para idosos

    Ter segurança na piscina para idosos é essencial para curtir os dias de calor sem preocupações com riscos de acidentes.

    Uma casa deve ser segura para todos que nela habitam, não é mesmo? Por isso, quem tem piscina em sua residência deve ficar sempre atento, especialmente se nela moram crianças, pets e idosos.

    Ao contrário do que muita gente pensa, não são apenas as crianças que precisam de atenção. Chega um momento em que a força e o equilíbrio já não são mais os mesmos: o avanço da idade ocasiona diversas mudanças no corpo e na mente das pessoas.

    Por isso, é preciso tomar atitudes simples, mas que são importantes na prevenção de acidentes. O lar deve passar por adaptações para incluir quem está na terceira idade de forma segura e o cuidado deve ser redobrado dentro e fora de casa, inclusive, na piscina.

    Pensando nisso, preparamos o post de hoje com dicas de segurança na piscina para idosos. Confira e saiba como curtir bons momentos junto daqueles que você ama!

    1. Para promover a segurança na piscina para idosos, tenha equipamentos com acessibilidade

    Um ambiente acessível é aquele que permite que todos se divirtam, socializem e estejam em condições seguras.

    Para promover a segurança na piscina para idosos, é preciso fazer alguns ajustes. A entrada da piscina deve ser facilitada, o que pode ser feito por meio de rampas, degraus ou, até mesmo, elevadores.

    A piscina deve obedecer às prescrições da norma 9050/04 da ABNT e da lei número 10.098, que regulamentam as rampas e escadas de acesso, bem como o corrimão.

    Para a segurança na piscina para idosos, as rampas devem ter, no mínimo, 1,20 m de largura e inclinação transversal de no máximo 3%. As escadas devem ter degraus submersos e de material antiderrapante, enquanto as bordas da piscina precisam ser arredondadas.

    A profundidade ideal para garantir a segurança na piscina para idosos é até 1,40 m, de forma que eles possam ficar em pé sem maiores esforços. Caso a sua piscina tenha diferentes profundidades, é preciso demarcá-las. A área interna e externa da piscina também deve ter piso antiderrapante, para diminuir o risco de acidentes.

    Se você quer evitar grandes reformas, uma boa opção são os elevadores. Eles podem tornar o acesso à piscina muito mais simples para idosos e pessoas com necessidades especiais.

    2. Fique atento ao ralo da piscina

    A sucção ainda é responsável por muitas mortes por afogamento, por isso, é essencial cuidar para que a construção ou reforma da piscina contemple os parâmetros de segurança necessários para os usuários.

    Além da correta especificação da instalação hidráulica e dimensionamento dos equipamentos para o tamanho de cada piscina, conforme a norma ABNT 10.339, os ralos de fundo devem ser em número não inferior a duas unidades, um dos quais deverá ser instalado na parte mais profunda da piscina. A recomendação é que haja entre esses ralos uma distância mínima de dois metros, de tal maneira a impedir que um banhista possa bloqueá-lo ao mesmo tempo.

    Além desses parâmetros, há também o cuidado com a correta aplicação da grade do ralo e com os skimmers. Consulte a norma antes de construir sua piscina e adeque os dispositivos caso sua piscina já esteja construída para não correr riscos. Fique atento e, a qualquer sinal de problemas, interdite a piscina.

    Existem excelentes opções no mercado de dispositivos com botão de segurança que interrompem as atividades em caso de emergência e promovem a segurança na piscina para idosos.

    3. Elimine objetos quebrados

    Azulejos, pisos, escadas e demais objetos quebrados podem prejudicar a segurança na piscina para idosos, porque tendem a causar cortes e machucados, colocando a sua família em risco. Observe a sua piscina constantemente e faça os reparos necessários.

    4. Estimule a natação e os exercícios físicos

    A natação proporciona diversos benefícios à saúde e isso é importante em todas as idades!

    Além disso, saber nadar é uma maneira de prevenir afogamentos. Estimule todos os membros da sua família a se exercitarem – dentro e fora da piscina!

    5. Previna as quedas

    De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), a ocorrência de queda por faixa etária é de 28% a 35% nos idosos com mais de 65 anos, e de 32% a 42% naqueles com mais de 75 anos.

    Pare um instante para pensar em sua família. Se o seu filho escorrega e cai, segundos depois ele já está de pé a todo vapor, certo? Já um idoso pode fraturar alguma parte do corpo, de forma que necessite de cirurgia e meses para se recuperar.

    Aumentar a segurança de casa, inclusive na piscina, é essencial para garantir a qualidade de vida e o bem-estar de todos, e quando falamos em iodosos, também existem sapatilhas confeccionadas em materiais que podem ajudar a prevenir as quedas.

    6. Capriche na iluminação

    A iluminação é capaz de transformar ambientes. No entanto, essa estratégia utilizada para valorizar espaços e tornar o paisagismo mais atraente também precisa ser funcional. Uma iluminação assertiva ajuda a evitar acidentes, pois todos são capazes de ver os limites da piscina e as demarcações de profundidade.

    Viu como, com alguns ajustes, todas as gerações aproveitem dias de calor com tranquilidade na piscina? E na sua casa, a piscina é segura para idosos? Você ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário e até a próxima!

Solicitar Orçamento:
Solicite seu orçamento através do formulário abaixo.
Se preferir, entre em contato diretamente pelo telefone ou e-mail.
  • Aproveite e cadastre uma senha abaixo para ter acesso completo ao maior Portal de Lazer do Brasil