Minha Conta
Acesse sua conta

banner-regua-ebook-inverno

Motor elétrico Nautilus 3/4 CV monafásica (Split Phase)

Motor elétrico Nautilus 3/4 CV monafásica (Split Phase), peça usada em Motobombas Séries NBF, HM e NRD
Encontrar revenda

Características do produto

Informações Adicionais

SKU 14010049
Modelo da Motobomba NBF, HM, NRD-19
Artigos relacionados
Artigos Relacionados
  1. Como evitar a água verde na piscina?

    16/03/2017 15:03

    Chegar em casa após um dia cansativo, relaxar com a família e encontrar a água da piscina clorada, cristalina e pronta para o uso é o sonho de...
    como-evitar

    Como evitar a água verde na piscina?

    Chegar em casa após um dia cansativo, relaxar com a família e encontrar a água da piscina clorada, cristalina e pronta para o uso é o sonho de todos. Mas esse sonho pode transformar-se em pesadelo se a água estiver verde, afinal, essa coloração não combina com piscina própria para o uso.

    A cor verde na água da piscina ocorre devido a dois fatores: tratamento inadequado ou infestação por algas e micro-organismos.

    Além do aspecto visual, que transmite uma péssima impressão, quando a piscina não é tratada corretamente pode se tornar um foco de contaminação com a presença de micro-organismos que causam doenças de pele, respiratórias, conjuntivites, etc. O tratamento preventivo da água é a melhor defesa.

    No post de hoje, preparamos algumas dicas de como evitar a água verde na piscina. Confira!

    O que são as algas da piscina?

    As algas são micro-organismos trazidos pelos ventos e pelas chuvas, e proliferam-se nas piscinas quando existem condições favoráveis, como temperatura específica e água pouco clorada e com pH alto.

    O problema é que essas algas, além de dar uma coloração esverdeada na água da piscina, podem comprometer a saúde, pois facilitam o desenvolvimento de bactérias causadoras de doenças de pele, diarreia, infecções nos olhos, ouvidos, nariz e na garganta.

    Então, como evitar a água verde na piscina?

    Como já sabemos, a água verde na piscina é causada pela presença de algas no local, o que ocorre, sobretudo, em função da falta de tratamento ou manutenção equivocada. Para evitar a água verde na piscina, algumas dicas são fundamentais:

    Nunca deixe a água parada

    A água parada permite a proliferação das algas, que conferem a aparência verde à piscina. Portanto, filtre a água diariamente para mantê-la limpa e em movimento constante.

    Retire folhas e galhos

    O acúmulo de folhas, galhos e insetos que caem na piscina também afeta a cor da água. Por isso, passe, sempre, a peneira para retirá-los e lembre-se: é muito mais fácil remover esses detritos enquanto eles estão na superfície, ou seja, antes de eles se firmarem no fundo da piscina.

    De olho no tratamento
    Utilizando  alguns medidores e produtos específicos, é possível avaliar e ajustar o nível da alcalinidade e o pH para evitar a água verde na piscina. O pH deve estar entre 7,2 e 7,6, e a alcalinidade entre 80 e 120 ppm. O residual de cloro livre na piscina, da mesma forma, deve ser monitorado com os mesmos estojos de testes. O seu nível ideal, para piscinas residenciais, é entre 1,0 e 3,0 p. p. m., sem o que a água não estará devidamente “protegida”.

    Os produtos químicos são os responsáveis por manter a água sempre limpa e em condições próprias para uso. Quando o tratamento não é bem feito ou a periodicidade não é a ideal, uma das consequências é o aspecto esverdeado.

    Mas, atenção! Fazer isso apenas nos finais de semana não ajudará a evitar a água verde na piscina! As algas proliferam-se com constância, portanto, é preciso tratar a água regularmente!

    Para evitar que a sua piscina chegue a esse ponto, é preciso fazer um tratamento contínuo para que a água fique sempre limpa e clorada na medida certa. Existem equipamentos de alta qualidade que ajudam a manter a piscina sempre limpa e clorada, como os filtros que retiram o máximo de partículas de sujeira da água, os acessórios para limpeza que facilitam o processo de higienização, como as escovas, os aspiradores, e o Gerador de Cloro.

    Caso você não tenha tempo para realizar essa manutenção preventiva, vale a pena investir no trabalho de um profissional da área ou no tratamento automatizado na piscina da sua casa.

    Apesar de que, na estação mais quente do ano, os cuidados devem ser redobrados devido ao uso mais frequente da piscina, ela demanda cuidados durante o ano todo, e não apenas no verão.

    Mantenha a boa manutenção do local inclusive no inverno, para que a água não fique suja e impossível de ser recuperada: esteja sempre atento ao tratamento químico adequado e retire resíduos que caem na piscina.

    Esses são alguns dos pontos essenciais para você evitar a água verde na piscina e poder desfrutar tranquilamente dela, ao lado de sua família e amigos. Para ter a manutenção ideal de sua piscina, é recomendável, também, conversar com o profissional de confiança de sua loja de piscinas preferida.

    E então, ficou com alguma dúvida sobre como evitar a água verde na piscina? Escreva pra gente pelos comentários e até a próxima. 

    Ebook Cuidados com as Piscinas no inverno

  2. A piscina da sua casa está pronta para ser usada?

    26/12/2016 00:12

    Com a chegada do verão e, em consequência, as férias escolares, nada como a família curtir o calor dentro da piscina. E, para aproveitar esses...
    A piscina da sua casa está pronta para ser usada?

    A piscina da sua casa está pronta para ser usada?

    Com a chegada do verão e, em consequência, as férias escolares, nada como a família curtir o calor dentro da piscina. E, para aproveitar esses momentos gostosos, é preciso saber: a piscina está pronta para ser usada?

    Essa é uma informação extremamente importante, pois o que realmente não queremos é ter dores de cabeça em razão da qualidade da água, ou qualquer outra questão ligada à piscina de casa.

    Por isso, separamos algumas dicas importantes para você avaliar a melhor hora de realizar a manutenção da piscina da sua casa e, assim, ficar tranquilo para que você e sua família possam usar a piscina sem preocupação:

    Verifique o filtro da piscina

    Primeiramente, é indispensável avaliar o sistema de filtração da piscina: quais as condições da areia ou outro elemento filtrante; eles estão em condições de desempenhar o seu papel de remover as partículas em suspensão na água da piscina? É necessário trocar a areia ou lavar o elemento filtrante? Esses são questionamentos muito importantes e que devem ser observados antes mesmo de se permitir a utilização da piscina para uso.

    A limpeza da piscina é fundamental

    Após a checagem do sistema de filtração e verificar se ele está funcionando plenamente, agora é o momento para limpar a borda e aspirar o fundo da piscina e iniciar o processo de filtração. Para isso, é fundamental você ter produtos que não danifiquem a estrutura da piscina, ao mesmo tempo em que realizam efetivamente a limpeza da oleosidade e o acúmulo de sujeira.

    Nas piscinas de concreto ou alvenaria, remova a infestação de algas presente nas juntas dos azulejos, fazendo uso de uma escova de aço inox, lembrando-se depois de aspirar o material decantado no fundo da piscina e de limpar a borda fazendo uso de produtos indicados para isso. Para piscinas de fibra ou vinil, as esponjas adequadas são as de nylon.

    Ajustes químicos

    Com o sistema de filtração operando normalmente e com a piscina devidamente limpa, é chegado o momento de verificar o equilíbrio químico da água e adotar um método de sanitização, etapas essas que vão garantir uma piscina agradável para usar e livre de bactérias e microrganismos indesejados.

    Por isso é importante ficar atento aos seguintes elementos, bem como os seus níveis ideais:

    Níveis de pH da água

    O nível de pH indica o equilíbrio da água da piscina, o quão ácida ou alcalina está a água da piscina. É importante manter esse nível em torno de 7,2 a 7,6. E, para isso, deve-se usar produtos químicos que aumentam ou reduzem esse nível, de acordo com o número indicado na medição. Uma fita teste ou um kit teste são fundamentais para ajudá-lo nesse trabalho e, assim, manter os níveis de pH da água dentro dos parâmetros ideais.

    Alcalinidade total

    A alcalinidade, de forma simplificada, é a capacidade da água da piscina em manter o pH estável. Portanto, a alcalinidade total corresponde à soma da alcalinidade produzida pelas substâncias químicas alcalinas dentro da piscina. Manter uma alcalinidade dentro dos parâmetros ideais contribui para evitar variações acentuadas do pH e, assim, manter a água equilibrada por mais tempo, o que contribui para que haja uma necessidade menor de correção do pH da água da piscina.

    Para medir essa alcalinidade, faça uso de uma fita teste e, quando necessário, de produtos corretores da alcalinidade para manter os níveis recomendados para sua piscina.

    Cloro

    O cloro é um elemento sanitizante, ou seja, sua função é eliminar as bactérias ou outros microrganismos que contaminam a água. A quantidade do cloro a ser aplicada na água da piscina irá variar de acordo com uma série de fatores, mas principalmente em relação ao volume de água da piscina, a quantidade de sujeira (matéria orgânica) existente na água, a frequência de uso e a temperatura da água da piscina, assim como a quantidade de banhistas.

    Se houver dúvidas quanto às dosagens e os produtos químicos recomendados, siga as orientações dos fabricantes dos produtos químicos ou solicite ajuda a um Revendedor de sua confiança. Se precisar de ajuda para encontrar uma loja, acesse: http://www.nautilus.ind.br/revendas.

    Outra dica útil para a sanitização da água da piscina é a possibilidade de se utilizar um gerador de cloro na sua piscina, por ter um excelente custo-benefício, além de automatizar esse processo para você.

    Esses são alguns dos pontos essenciais para você ficar de olho na manutenção da sua piscina e, assim, desfrutar tranquilamente dela, ao lado da sua família e daqueles que ama. Por isso, converse com o seu profissional de confiança e fique atento para deixar sua piscina sempre pronta para usar!

    Ebook Cuidados com as Piscinas no inverno

  3. Por dentro da casa de máquinas da piscina

    14/10/2015 10:10

    O processo de manutenção da piscina requer duas etapas importantes: o tratamento físico e o tratamento químico. Vamos entender melhor o processo do...
    nauti-blog (23)

    O processo de manutenção da piscina requer duas etapas importantes: o tratamento físico e o tratamento químico. Vamos entender melhor o processo do tratamento físico:

    A filtração é um passo fundamental no tratamento da água para as piscinas que ocorre através de equipamentos específicos instalados normalmente na casa de máquinas. A casa de máquinas é normalmente um espaço subterrâneo destinado à instalação dos equipamentos que são conectados à piscina através de tubulações, por sua vez, conectadas aos diversos dispositivos da piscina (tais como ralos de fundo, dispositivo de aspiração, retorno, hidromassagem, etc.).

    Como funciona a filtração: o processo é realizado basicamente por dois equipamentos, o filtro e a motobomba. A motobomba faz a sucção da água da piscina para que passa por dentro do filtro, que contém um elemento filtrante – com cargas de areia ou zeólita. Ao passar por essa etapa, os sólidos em suspensão na água da piscina ficam retidos no filtro. Ao retornar para piscina através dos dispositivos de retorno a água está limpa e cristalina, além de proporcionar uma melhor eficiência no cuidado da água com produtos químicos.


    FILTROS: são tanques que têm em seu interior um elemento filtrante (normalmente areia ou zeólita) e com válvulas seletoras (que são multivias) instaladas na parte superior do tanque do filtro. Essas válvulas comandam as operações do filtro, veja abaixo quais são os comandos (atenção, as operações podem variar de acordo com o modelo do filtro):

    FILTRAR: processo de limpeza em que a água da piscina passa pelo elemento filtrante no interior do filtro (areia ou zeólita) e retém as partículas de sujeira em suspensão na água. A filtração é um processo que deve obedecer ao tempo indicado para cada tipo de piscina (o tempo varia de acordo com o volume, profundidade, tipo de uso, etc.) Quando atendido o tempo indicado, a filtração pode ser equivalente à 50% do tratamento da água, que necessita também de tratamento químico para a sanitização completa da água.

    RETROLAVAR (LAVAR): operação de lavagem do elemento filtrante necessária sempre que o elemento filtrante (areia ou zeólita) estiver saturado, ou seja, com excesso de sujeira em seu interior, isto é, quando a pressão do manômetro entrar no início da zona em amarelo, ou seja, atingir 12 libras/pol2. O tempo de lavagem será o necessário até que o fluxo da água, visto através do visor de retrolavagem, não apresente mais aspecto turvo.

    PRÉ-FILTRAR: A operação PRÉ-FILTRAR deve ser feita sempre depois da operação LAVAR (retrolavar) e deve ter a duração máxima de 30 segundos. Essa operação evita que resíduos que tenham ainda permanecido no interior do filtro, durante a operação LAVAR (retrolavar), retornem à piscina, levando sujeira para a água. Nunca acione a operação FILTRAR sem que essa operação PRÉ-FILTRAR seja realizada, caso contrário, a sujeira contida no filtro pode retornar à água da piscina.

    RECIRCULAR: operação normalmente indicada para a homogeneização dos produtos químicos na água, logo após a aplicação dos mesmos, ou para quando a cascata ou a hidromassagem for acionada, por exemplo.

    DRENAR: operação recomendada para o esvaziamento da piscina, quando necessário, como para aspirar algas decantadas ou excesso de resíduos no fundo da água, seja sujeira ou produto químico. Essa operação é realizada com o auxílio de um rodo aspirador e, nesse comando, a água é descartada para o esgoto.

    FECHAR: operação para detectar vazamentos na tubulação ou problemas nos equipamentos, trabalha sob a pressão máxima da motobomba. Essa operação também é recomendada para períodos em que o equipamento for ficar desativado por um longo tempo.

    A Nautilus desenvolveu filtros de alta performance que garantem limpeza total à piscina e atendem às necessidades do consumidor, independentemente do tamanho e tipo de uso da piscina, sempre dimensionados de acordo com a norma específica do setor, a NBR 10.339.

    Os filtros Nautilus são produzidos com tanque em polietileno rotomoldado, em uma peça única, sem emendas, à prova de corrosão, com alta resistência a tensões residuais, características essas que permitem ser a única empresa no mercado a oferecer 3 anos de garantia sobre os tanques.

    Além da linha convencional de filtros, que são instalados em casas de máquinas, a Nautilus possui também a linha de filtros montados sobre carrinhos, indicada para piscinas que não possuem rede hidráulica, sem ralo de fundo e dispositivos de retorno ou aspiração.


    MOTOBOMBAS: no processo de filtração, as motobombas são equipamentos com motores elétricos responsáveis pela sucção da água que deverá passar pelo filtro. A sucção dessa água pode ser feita através de um ralo de fundo ou então por um dispositivo de aspiração, água essa que volta para a piscina, após a passagem pelo filtro, através dos dispositivos de retorno. Na operação DRENAR, a água succionada pela motobomba vai para o esgoto.

    Para uso em piscinas, a Nautilus oferece a linha de motobombas autoescorvantes, série NBF, produzidas em plástico de engenharia, acopladas a um pré-filtro para retenção de folhas e/ou sólidos maiores, para evitar entupimento do rotor da bomba. Esses modelos atendem piscinas residenciais e comerciais com vazão de até 25 mil litros por hora.

    Para as piscinas de maior porte, normalmente encontradas nos clubes, academias e hotéis, os modelos mais indicados são as motobmbas centrífugas, série BNRL, de 3 CV e 5 CV de potência, que são produzidas em ferro fundido e devem ser acopladas a um pré-filtro em polietileno rotomoldado, com tampa em ferro fundido e cesto em aço inoxidável, com vazão de até 52 mil litros por hora.

    Vale ressaltar que além das motobombas utilizadas no processo de filtração, a Nautilus disponibiliza outras linhas de motobombas para outros fins, tais como cascatas e duchas de hidromassagem (a linha de motobombas centrífugas da série HM) e funcionamento de sistemas de aquecimento solar (a linha de motobomas centrífugas da série NRD).

    Todas as motobombas da Nautilus são acopladas a motores elétricos da linha premium da WEG, que possuem alto torque de partida e são projetados para as condições da rede elétrica brasileira, reduzindo sensivelmente o risco de travamento e queima do motor. Dependendo das potências e uso, as motobombas para piscinas da Nautilus podem ser acopladas a motores elétricos 60Hz, monofásicos 127/220 Volts ou trifásicos 220/380 Volts.

      Ebook Cuidados com as Piscinas no inverno
Solicitar Orçamento:
Solicite seu orçamento através do formulário abaixo.
Se preferir, entre em contato diretamente pelo telefone ou e-mail.
  • Aproveite e cadastre uma senha abaixo para ter acesso completo ao maior Portal de Lazer do Brasil