Quero ter uma piscina em casa: por onde começar?

Postado em: 04/06/2018 às 14:48

É fato científico que a temperatura vem se elevando em todo o mundo e cada ano a sensação de calor excessivo tem chegado com maior intensidade até a países tropicais como o nosso.

Esse estresse físico e mental vem tornando a existência de uma piscina em casa não um sonho distante, mas uma necessidade imperiosa em busca de alívio para o calor e oportunidade de diversão junto com os familiares e amigos no momento em que se deseje.

O que era visto como luxo há alguns anos, hoje, é sinônimo de bem-estar, qualidade de vida, conforto e praticidade.

Além de ser uma excelente opção de lazer, ter uma piscina em casa traz diversas vantagens, como incentivo ao convívio familiar, possibilidade de praticar exercícios sem sair do lar, manter os filhos por perto e uma incrível valorização do seu imóvel, entre outros benefícios.

Embora seja um desejo natural de boa parte das pessoas, no momento de decidir é comum o surgimento de uma série de perguntas a respeito. O que eu preciso saber? O que eu não posso desconhecer? Qual modelo escolher? Grande, média ou pequena? Como fazer a decoração dos espaços ao redor? E você logo pensa: “Quero ter uma piscina em casa, mas não sei por onde começar”.

Para ajudar você a decidir de forma correta, preparamos uma série de sugestões, passo a passo. Acompanhe.

Quero ter uma piscina em casa

1º passo: encontrar o profissional ideal

O primeiro passo para ter uma piscina em casa é aceitar que você vai precisar de ajuda. Por mais talento que você tenha, se não é ligado ao ramo jamais arrisque o “faça você mesmo”, pois a falta de profissionais especializados pode trazer prejuízos financeiros e colocar em risco a segurança de todos.

O planejamento de uma piscina envolve muitas questões importantes, e um projeto mal executado, que não esteja de acordo com as normas técnicas ou até com a rígida legislação que norteia o setor,  pode trazer uma série de complicações.

Um arquiteto ou engenheiro acompanhando o processo é o segredo para uma obra tranquila, de qualidade e que alcance os resultados pretendidos. Esse profissional deve estar presente em todas as etapas: concepção, preparo do terreno, projeto, instalação, execução e até manutenção do funcionamento de forma ideal e econômica. Assim, você evitará gastos extras com correções desnecessárias.

O olhar experiente e o conhecimento do profissional são fundamentais para o bom funcionamento e para a escolha de acabamentos e revestimentos que favoreçam um ambiente seguro. O resultado? Uma área de lazer que traga todos os benefícios que você sonhou, e não dores de cabeça!

Ter uma piscina em casa é uma decisão importante para todos os membros da família. Ela vai trazer muita união entre todos, muita alegria, oportunidades de divertimento em grupo, troca de energias positivas, revigoramento corporal e astral, sensação de estarem realizados e de bem com a vida.

2º passo: elaborar o projeto arquitetônico

Para ter uma piscina em casa, é preciso decidir com antecedência alguns pontos importantes. A construção da piscina envolve muito planejamento antecipado para que o resultado final seja plenamente satisfatório.

Entre eles, por exemplo, perfil dos usuários, se precisa atender a pessoas com limitações de movimentos ou idosos, divertimentos que se pretende ter dentro e ao redor da piscina, etc. São detalhes que determinarão as dimensões, profundidade, formato, escadas, revestimento, decoração, pontos e focos de iluminação, posição e tamanho da casa de máquinas, entre outros.

A construção da piscina envolve muito planejamento para que o resultado final seja satisfatório. Novamente, nessa etapa, é essencial contar com o auxílio de um profissional. Um arquiteto ou engenheiro saberá o tipo de piscina mais adequado e a melhor maneira de preparar o terreno para recebê-la.

3º passo: escolher a sua piscina

Muita gente acredita que ter uma piscina em casa consiste em escolher entre opções padronizadas e que o fator decisório é o preço. Na verdade, é possível inovar no seu projeto e criar ambientes únicos! Tudo isso começa com a decisão do material construtivo da piscina. Veja a seguir algumas possibilidades:

  • Fibra de vidro: a preparação do terreno é mais simples, tornando a obra mais rápida e barata. As ações do tempo e dos produtos químicos resultam em desgastes na pintura. A durabilidade do material é inferior à do concreto, mas, quando bem instalada e com manutenção contínua, a vida útil pode ser maior. As piscinas de fibra de vidro são mais baratas, porém, em tamanhos e formatos predefinidos.
  • Vinil: uma piscina de vinil é uma boa escolha, avaliando custo-benefício, pois apresenta variações estéticas, modulações e o material é impermeável, o que a faz ter boa durabilidade. Também oferecem a possibilidade de mudar todo o visual quando se resolve trocar o vinil.
  • Concreto: piscinas de concreto são as preferidas dos arquitetos, devido à infinidade de possibilidades. O material permite que a piscina seja projetada em diferentes tamanhos, acabamentos e modelos, e é bastante durável. Evidentemente, o prazo da obra é maior, bem como o investimento necessário.

4º passo: determinar o tamanho da piscina

Outra decisão importante para quem deseja ter uma piscina em casa é o tamanho dela. Para isso, é preciso considerar a quantidade de usuários e as dimensões do terreno. Lembre-se de que, além da piscina, é necessário um espaço para a casa de máquinas, área destinada para equipamentos, como a motobomba, por exemplo.

5º passo: planejar o projeto paisagístico da piscina em casa

O projeto da sua piscina também deve considerar o elemento paisagístico. A decoração da área ao redor da piscina deixa o espaço funcional e muito mais bonito.

Aqui, novamente, é interessante considerar o auxílio de um profissional, pois ele ajudará a definir os tipos de móveis, como será o jardim, a melhor estratégia para ter uma iluminação assertiva e outras questões que deixarão seu projeto seguro, único e encantador!

6º passo: exigir equipamentos de segurança, sempre.

O profissional especializado conhece as leis que regulamentam o setor e a importância da segurança em uma piscina e deve ser ouvido com toda atenção. Cada detalhe deve ser considerado importante na sua decisão.

Como, por exemplo, quantidade e tipos de ralos de fundo, skimmers, sistemas de segurança automáticos, areia filtrante ou zeólita – pó extraído de rochas vulcânicas que filtra partículas oito vezes menores que as retidas pela areia, geradores de cloro (vale a pena conhecer as enormes vantagens proporcionadas por esse equipamento de alta tecnologia), bombas de calor e/ou placas coletoras solares, cascatas, iluminação de led’s coloridos, jatos de hidromassagem, etc.

O Projeto de Lei nº 71/2014 – aprovado pelo Senado Federal em 21/09/2017, surge para regulamentar o funcionamento de piscinas públicas ou particulares, priorizando a segurança.

A proposta torna obrigatória a instalação de um dispositivo que evite a sucção de membros do corpo ou cabelos pelo ralo ou outro dispositivo de sucção da piscina, exigindo a instalação de um equipamento que permita a interrupção imediata do sistema de bombeamento.

Segurança, acima de tudo, é uma questão de amor. Todas as ações de prevenção de acidentes devem ser tomadas para que o usuário construa somente boas lembranças durante anos seguidos de divertimento na piscina.

Planeje com cuidado e aproveite o que a vida tem de melhor.

Como você vê, é preciso planejar com critério e contar com a ajuda de profissionais. Assim, a piscina será um item de diferenciação e valorização do seu imóvel, além de proporcionar momentos únicos de descontração, alegria e lazer!

Comece agora mesmo a pesquisar e escolha os profissionais capazes de transformar em realidade seu sonho de ter uma piscina em casa, disponível a qualquer hora do dia ou da noite, para acabar com o desconforto do calor ou para relaxar e reorganizar as energias do corpo e da mente.

Siga seus instintos, tenha uma piscina em sua casa. Ainda existe algo a perguntar ou alguma dica a compartilhar? Deixe um comentário e até a próxima!

Comentários