Lazer, questão de segurança: como garantir uma piscina segura?

Postado em: 28/08/2018 às 15:47

Está sem tempo para ler este texto? Ouça-o dando play no áudio abaixo!

Os momentos de diversão na piscina são extremamente benéficos para todas as idades! Dos pequeninos aos mais idosos, todos podem aproveitar as vantagens proporcionadas pelo lazer dentro d’água.

Apesar disso, se não forem tomados os devidos cuidados, a diversão e o relaxamento podem dar lugar a situações desagradáveis em que a integridade física das pessoas é prejudicada por negligências na construção, na aquisição dos equipamentos e também na utilização da piscina.

Diante desses problemas, e com o avanço da tecnologia, surgiu o conceito de piscina segura, que abrange boas práticas desde a construção da piscina até seu uso propriamente dito. Para conseguir uma piscina que seja realmente segura, é preciso desenvolver uma cultura de hábitos de segurança na hora de elaborar o projeto de construção, na hora de construir a piscina, na hora de equipá-la e também na hora de se divertir.

O objetivo é fazer com que todos os envolvidos, da construção ao uso, contribuam para garantir os bons momentos que só a piscina pode proporcionar.

E é exatamente sobre isso que resolvemos falar neste post: as melhores formas de conseguir uma piscina segura de verdade. Acompanhe!

Piscina segura – o que é?

Uma piscina segura é aquela que minimiza, no limite máximo possível, os riscos oferecidos ao usuário. Na prática, uma piscina só consegue oferecer momentos de lazer com segurança quando ela é pensada, construída e tratada da maneira correta e de forma integrada..

Apesar de aparentemente simples, este conceito permeia várias etapas desde o projeto e execução da obra até o uso da piscina propriamente dito..

De acordo com a Sobrasa, Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático, as piscinas são responsáveis por 51% de todos os casos de óbitos humanos por afogamento na faixa etária de 1 a 9 anos. Grande parte dos acidentes em piscinas (em torno de 28% dos casos) está relacionado com a sucção nos pontos de aspiração, ralos de fundo ou skimmers. Cabelos, roupas e partes do corpo podem ser sugadas pelos dispositivos de aspiração ou pelo ralo de fundo, impedindo que o banhista retorne à superfície e, como consequência mais grave, levando ao seu afogamento.

Com esses dados em mãos, é nítida a necessidade de mudança em nossos hábitos e cultura em relação ao uso seguro das piscinas, certo?

Segurança na construção da piscina

Essa mudança cultural em prol da segurança exige que a construção da piscina seja feita de acordo com a Norma ABNT – NBR 10.339, que estabelece os requisitos de projeto e construção dos sistemas de recirculação e tratamento de água nas piscinas, datendendo às exigências técnicas de higiene, segurança e conforto dos usuários..

O novo texto da norma foi motivado pela necessidade de melhoria dos requisitos de segurança para os banhistas, correto dimensionamento e qualidade do sistema de filtração e tratamento de água, requisitos claros para a correta operação da piscina e suas manutenções ao longo do tempo, entre outros fatores.

Segurança na escolha dos equipamentos da piscina

No momento de escolher os equipamentos para a piscina, tendo a segurança em mente, a ideia é optar por soluções tecnológicas que possam agir não só na solução dos problemas, mas especialmente na prevenção deles, pois afinal estamos tratando da vida das pessoas!

Com o avanço da tecnologia, tornou-se possível hoje instalar um equipamento chamado SafeSwim – que interrompe automaticamente o funcionamento da bomba ao detectar variação no volume do fluxo de água durante a ação de filtrar ou drenar.

Na prática, trata-se de um equipamento que, independentemente de como a piscina foi construída – se a construção seguiu ou não as melhores práticas -, impede que uma pessoa fique presa na tubulação de sucção da motobomba.

O objetivo é que, em um futuro próximo, a cultura da segurança seja internalizada como uma medida eficiente para prevenir problemas no ambiente da piscina, assim como o cinto de segurança é hoje considerado um dispositivo essencial para a segurança nos automóveis.

Afinal, não importa se o motorista dirige bem, você certamente passará o cinto quando entrar em um automóvel, certo? Da mesma forma, não importa se uma piscina foi construída corretamente, você vai querer a segurança de um dispositivo de prevenção.

Segurança na utilização da piscina

O uso da piscina também precisa ser feito de maneira consciente para que o lazer seja garantido. É possível listar uma série de comportamentos que garantem a tranquilidade e a diversão:

Cercas de proteção são sempre bem-vindas em piscinas de residências com crianças;

Evitar saltos especialmente em piscinas de pequena profundidade;

Não permitir que crianças utilizem a piscina sem a supervisão de um adulto;

Deixar claro para os adultos da casa onde fica o botão que desliga a sucção da piscina em caso de emergência;

Instalação de equipamentos de segurança, como o SafeSwim.

SafeSwim? Como assim?

SafeSwim é um dispositivo com tecnologia Nautilus que cobre exatamente esta lacuna na segurança da piscina. Ele é um equipamento que monitora o fluxo de água da piscina, detectando obstruções ou bloqueios nos dispositivos de sucção (ralos de fundo ou skimmers) e aspiração instantaneamente e desligando a motobomba.

O SafeSwim é um grande avanço na cultura de segurança nas piscinas, representando um incremento considerável na segurança preventiva. Afinal, a prevenção é sempre a melhor escolha quando lidamos com a vida.

Dentre as principais características deste equipamento distribuído com exclusividade pela Nautilus, podemos listar alguns pontos principais:

É um equipamento fácil de instalar na casa de máquinas em qualquer piscina, independente do revestimento e do tipo da construção;

É um equipamento que não precisa de nenhum tipo de calibração. Basta instalar e ele já estará detectando o aprisionamento nos pontos de sucção de água;

O SafeSwim desliga automaticamente a motobomba, mas também permite o desligamento através da ação humana nos botões de emergência instalados em locais próximas à piscina;

O Botão de Emergência e a Sirene Auxiliar do SafeSwim também foram desenvolvidas para evitar acidentes. A alimentação de energia elétrica do sistema é por corrente contínua e de baixa tensão (24Vac), o que vale dizer que não há riscos de choque mesmo que a pessoa atingida esteja molhada;

Todos os equipamentos da linha SafeSwim atendem as Normas ABNT NBR 10339 – Projeto e execução de piscina – Sistema de Recirculação e Tratamento e ABNT NBR 5410 – Instalações Elétricas (de baixa tensão).

Viu como garantir uma piscina segura pode ser ainda mais fácil?

Saiba mais sobre as soluções desenvolvidas especialmente para o bem-estar na piscina! Conheça o SafeSwim e outras formas de curtir a piscina com total segurança!

Comentários