Dicas de segurança na piscina para idosos

Postado em: 05/10/2017 às 9:15

Dicas de Segurança na piscina para idosos

Ter segurança na piscina para idosos é essencial para curtir os dias de calor sem preocupações com riscos de acidentes.

Uma casa deve ser segura para todos que nela habitam, não é mesmo? Por isso, quem tem piscina em sua residência deve ficar sempre atento, especialmente se nela moram crianças, pets e idosos.

Ao contrário do que muita gente pensa, não são apenas as crianças que precisam de atenção. Chega um momento em que a força e o equilíbrio já não são mais os mesmos: o avanço da idade ocasiona diversas mudanças no corpo e na mente das pessoas.

Por isso, é preciso tomar atitudes simples, mas que são importantes na prevenção de acidentes. O lar deve passar por adaptações para incluir quem está na terceira idade de forma segura e o cuidado deve ser redobrado dentro e fora de casa, inclusive, na piscina.

Pensando nisso, preparamos o post de hoje com dicas de segurança na piscina para idosos. Confira e saiba como curtir bons momentos junto daqueles que você ama!

1. Para promover a segurança na piscina para idosos, tenha equipamentos com acessibilidade

Um ambiente acessível é aquele que permite que todos se divirtam, socializem e estejam em condições seguras.

Para promover a segurança na piscina para idosos, é preciso fazer alguns ajustes. A entrada da piscina deve ser facilitada, o que pode ser feito por meio de rampas, degraus ou, até mesmo, elevadores.

A piscina deve obedecer às prescrições da norma 9050/04 da ABNT e da lei número 10.098, que regulamentam as rampas e escadas de acesso, bem como o corrimão.

Para a segurança na piscina para idosos, as rampas devem ter, no mínimo, 1,20 m de largura e inclinação transversal de no máximo 3%. As escadas devem ter degraus submersos e de material antiderrapante, enquanto as bordas da piscina precisam ser arredondadas.

A profundidade ideal para garantir a segurança na piscina para idosos é até 1,40 m, de forma que eles possam ficar em pé sem maiores esforços. Caso a sua piscina tenha diferentes profundidades, é preciso demarcá-las. A área interna e externa da piscina também deve ter piso antiderrapante, para diminuir o risco de acidentes.

Se você quer evitar grandes reformas, uma boa opção são os elevadores. Eles podem tornar o acesso à piscina muito mais simples para idosos e pessoas com necessidades especiais.

2. Fique atento ao ralo da piscina

A sucção ainda é responsável por muitas mortes por afogamento, por isso, é essencial cuidar para que a construção ou reforma da piscina contemple os parâmetros de segurança necessários para os usuários.

Além da correta especificação da instalação hidráulica e dimensionamento dos equipamentos para o tamanho de cada piscina, conforme a norma ABNT 10.339, os ralos de fundo devem ser em número não inferior a duas unidades, um dos quais deverá ser instalado na parte mais profunda da piscina. A recomendação é que haja entre esses ralos uma distância mínima de dois metros, de tal maneira a impedir que um banhista possa bloqueá-lo ao mesmo tempo.

Além desses parâmetros, há também o cuidado com a correta aplicação da grade do ralo e com os skimmers. Consulte a norma antes de construir sua piscina e adeque os dispositivos caso sua piscina já esteja construída para não correr riscos. Fique atento e, a qualquer sinal de problemas, interdite a piscina.

Existem excelentes opções no mercado de dispositivos com botão de segurança que interrompem as atividades em caso de emergência e promovem a segurança na piscina para idosos.

3. Elimine objetos quebrados

Azulejos, pisos, escadas e demais objetos quebrados podem prejudicar a segurança na piscina para idosos, porque tendem a causar cortes e machucados, colocando a sua família em risco. Observe a sua piscina constantemente e faça os reparos necessários.

4. Estimule a natação e os exercícios físicos

A natação proporciona diversos benefícios à saúde e isso é importante em todas as idades!

Além disso, saber nadar é uma maneira de prevenir afogamentos. Estimule todos os membros da sua família a se exercitarem – dentro e fora da piscina!

5. Previna as quedas

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), a ocorrência de queda por faixa etária é de 28% a 35% nos idosos com mais de 65 anos, e de 32% a 42% naqueles com mais de 75 anos.

Pare um instante para pensar em sua família. Se o seu filho escorrega e cai, segundos depois ele já está de pé a todo vapor, certo? Já um idoso pode fraturar alguma parte do corpo, de forma que necessite de cirurgia e meses para se recuperar.

Aumentar a segurança de casa, inclusive na piscina, é essencial para garantir a qualidade de vida e o bem-estar de todos, e quando falamos em iodosos, também existem sapatilhas confeccionadas em materiais que podem ajudar a prevenir as quedas.

6. Capriche na iluminação

A iluminação é capaz de transformar ambientes. No entanto, essa estratégia utilizada para valorizar espaços e tornar o paisagismo mais atraente também precisa ser funcional. Uma iluminação assertiva ajuda a evitar acidentes, pois todos são capazes de ver os limites da piscina e as demarcações de profundidade.

Viu como, com alguns ajustes, todas as gerações aproveitem dias de calor com tranquilidade na piscina? E na sua casa, a piscina é segura para idosos? Você ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário e até a próxima!

Comentários